Meu filho me mostrou um vídeo em 12/09/2014 hoje, que é fantástico, pelo fato da senhora de 80 anos dançar como se tivesse 19. Só isso já pagaria meu tempo assistindo. Mas acontece algo que é um tapa na cara para uma situação que eu sempre vi como de extrema tolice.

Melhor que você assista o vídeo antes se tiver se interessado pelo que vou escrever…

Ela começa a dançar devagar, e com falta de educação (porque considero um desrespeito com o outro) um dos jurados se precipita e de saco cheio dá um ponto negativo a ela. Mas no final, depois dela impressionar a todos, ele se arrepende do que fez. Legal que ele tenha admitido a cagada, mas é uma estupidez fazer o que ele fez, tão cedo…

E me vejo conversando com pessoas que acham que sabem o que vou dizer no momento seguinte, e não economizam no desrespeito ao me interromper, ou atropelar; dizendo outras coisas em cima… ou mesmo não prestando a mínima atenção no que digo, sem cerimônia alguma… sem perceber que eu dou muita importância àquele assunto e preciso ser ouvido, simplesmente porque “acham” que sabem o que vou dizer.

“-Deus! eu sou tão previsível assim?” É a primeira coisa que penso… mas não, creio que não seja tanto. O que acontece é que as pessoas esqueceram-se de viver, na correria do trabalho, dos afazeres, do que julgam importante ou prioridade na vida deles, e não têm tempo e disposição para ouvir o que alguém “previsível” tem a dizer. É triste, e me dá um ódio profundo… já foi algo que pesou muito em relações que desisti. Justamente porque a pessoa que diz que me ama não está disposta a me ouvir com atenção, mas claro… ela quer atenção!

livro - Momo e o senhor do tempo

Capa do livro Momo e o Senhor do Tempo, de Michael Ende, publicado no Brasil

Há alguns anos eu li um livro muito legal, do Michael Ende, autor de A história sem fim, que pra mim é fantááááástico! O livro chamava-se Momo e o senhor do tempo. Tratava-se de uma menina chamada Momo, que ouvia a todos, e isso resolvia o problema de todo mundo, e ela só fazia ouvir e conversar calmamente, com todo o tempo que a pessoa precisasse. Mas o senhor do tempo tinha um plano de roubar o tempo das pessoas e a vida delas ficava caótica, tal qual é hoje, com todos… e as pessoas esqueciam-se do que era importante: viver.

Eu já havia me apaixonado pela obra do Michael Ende, quando li A história sem fim, por conta da coisa de salvar a fantasia, de escrever para adultos, em linguagem de criança… e seguramente esse segundo livro que li dele é também uma sacada da realidade que temos. Mesmo escrevendo em 1973, o Ende sabia das coisas, ele parece ter captado que a vida estava sendo desperdiçada e apontou justamente o que faltava…

Então, creio que este seja um sinal, um sinal de que você precisa fazer algo para mudar a situação, se você perceber que isso acontece contigo ou com alguém à sua volta. Essa coisa de você ficar do lado de seu amigo, esposa, filho ou qualquer outra pessoa e não ter olhos e ouvidos pra eles, só para o seu Whatsapp e seu Facebook no celular, é um sinal de que você já mergulhou nessa merda que vai te matar, e vai causar estragos em volta também. Tenha certeza.

Eu ia agendar esse post para que ele fosse publicado daqui a alguns meses, para não parecer que estou mandando recado a ninguém, pois odeio isso… e não suporto quem manda recados. Mas lembrei que tenho que agir como sempre fui… e o Marcelo aqui, publicaria isso assim que caísse no colo dele, não deixaria para depois, pelo simples fato de acreditar que as coisas não acontecem à toa. Então isso não caiu no meu colo e me inspirou a escrever, para ser publicado daqui a 3 ou 4 meses.

E isso tem a ver também com este vídeo postado noutro post (clique para ler e assistir), das pessoas que deixam você de lado para viverem isoladas no mundo delas.

Posto atualizado:

Agora tem um filme que encontrei do livro…
Quem se interessar, dá para assistir online aqui: Filme Momo e o Senhor do Tempo

Também encontrei um conteúdo muito relevante, de uma análise psicológica do livro, vale muito a leitura: http://iepp.com.br/momo-e-o-senhor-do-tempo/